Uso emergencial das vacinas e recuperação da bolsa de valores

122
Uso emergencial das vacinas e recuperação da bolsa de valores

Nesta coluna, você vai acompanhar de perto a minha carteira de investimentos e vai aprender mais sobre maneiras de alocar recursos para ter uma carteira previdenciária.

Meus investimentos renderam 15,54% em novembro, um pouco abaixo do que o Índice Bovespa, que funciona como um termômetro do mercado de capitais, e valorizou 15,90%. Uma ótima rentabilidade considerando que minha carteira esteve 33,81% investida em renda fixa.

Aproveitando a alta, realizei algumas vendas para equilibrar a relação risco X retorno da carteira. E embora tenha realizado alguns investimentos, a regra da vez foi aumentar a reserva de oportunidades, nunca sabemos quando teremos mais um momento de queda acentuada, melhor começar a ficar preparado.

Abaixo, você confere mais comentários sobre o restante das negociações, além de uma análise do cenário atual e das oportunidades que enxergo no momento.

Se quiser saber sobre toda a minha receita com investimentos, clique aqui.

Renda Fixa e Renda Variável

Em novembro realizei apenas aportes em renda fixa e reforcei a reserva de oportunidades enquanto a bolsa de valores teve um dos seus melhores meses de alta. Mesmo assim, a proporção dos investimentos em renda variável subiu bastante e alcançou os 66,19%, ante os 62,86% do mês de outubro.

ERRATA: o percentual em renda variável de outubro na verdade foi de 62,86% ao invés de 60,99%.

Rentabilidade mensal

A rentabilidade foi recorde (15,54%) e levemente abaixo do índice iBovespa, que funciona como um termômetro da bolsa de valores e valorizou 15,90% em novembro. Lembrando que mais de 30% da minha carteira está em renda fixa e invisto prioritariamente em Small Caps.

A rentabilidade mensal é medida ao levar em consideração a variação entre o preço na liquidação de todos os ativos e os rendimentos do mês. Para saber mais sobre o cálculo de rentabilidade.

Sigo confiante na minha estratégia e, após essa alta, estou priorizando fortalecer a reserva de oportunidades e sendo ainda mais seletivo ao investir na renda variável.

Para saber mais sobre os ganhos com dividendos e vendas de ativos, clique aqui.

Carteira de Investimentos

O número de ativos na carteira aumentou de 26 para 27. A nova adição diz respeito a Trisul, uma das melhores construtoras da bolsa de valores. A concentração diminuiu e as dez maiores posições da carteira representam 69,65%, ante os 70,94% em outubro.

Novembro foi um mês claramente de alta. As três maiores altas da carteira foram: PRIO3 (60,19%), CVCB3 (48,45%) e OIBR3 (36,77%). A única que fechou o mês no negativo foi WIZS3 (-1,34%).

Esse mês de novembro marcou a volta do investidor estrangeiro, gerando um fluxo positivo superior a R$ 30 bi e, com isso, a maior alta para um mês de novembro em 30 anos. Mesmo com todo esse egresso de dinheiro, a balança do investimento estrangeiro ainda é bastante negativa e se esse movimento continuar a bolsa tem espaço para subir acima dos 120 mil pontos.

Não sei o que vai acontecer, mas continuo posicionado. Agora vamos às negociações do mês.

Negociações

Diferente do mês passado, esse foi um mês de pouquíssimas operações e a maioria delas foram vendas, aproveitando parte da alta da bolsa para lucrar e balancear o portfólio.

Começando pela venda parcial de CVC (CVCB3). O racional foi simples, a cotação estava com alta superior a 30% apenas no mês de novembro e o bônus de subscrição em dezembro iria me deixar com um percentual investido acima do desejado. Então, vendi 53 ações por R$ 16,36 enquanto que em dezembro vou subscrever quase a mesma quantidade por um preço bem inferior, de R$ 12,84/ação. Essa operação me rendeu prejuízo de R$ 86,04.

Também realizei uma venda parcial na empresa petroquímica Unipar (UNIP6). A cotação subiu bastante e ficou acima do preço considerado justo, diminuindo a atratividade do investimento com relação às demais empresas. Por isso, a venda de 100 ações pelo preço de R$ 37,77 cada, gerando um lucro líquido de R$ 801,25 (26,94%).

E a outra venda realizada foi na empresa de exploração de petróleo Petrorio (PRIO3). Essa venda foi feita com o intuito de equilibrar a carteira, visto que começou a representar mais de 20% da renda variável. Fiz uma pequena venda de 30 ações, através do mercado fracionário, por R$ 52,75 cada, o que representou um lucro líquido de R$ 608,67 (62,53%). Operacionalmente a empresa continua muito bem, e recentemente anunciou a aquisição de mais um campo com previsão de dobrar a produção da empresa. Vai fechar o ano muito bem e promete continuar no ritmo de alta em 2021.

Pelo lado das compras, adicionei a construtora Trisul (TRIS3) na carteira, há muito tempo estou de olho nela, é uma das melhores construtoras da bolsa. O principal motivo da adesão é a forte assimetria (mais chance de alta do que queda), pensar que no início de 2020 a empresa chegou a ser cotada a R$ 17 e depois de entregar o que prometeu e o cenário continuar positivo para o setor, a empresa está cotada por volta de R$ 12. Investi e vou aguardar o mercado abrir os olhos.

E a outra compra foi em um dos fundos imobiliários da carteira, o RBRP11 (+10 cotas). O fundo continua atrativo e entregando resultado dentro do esperado, enquanto isso vamos comprando aos poucos.

Segue todas as operações realizadas:

No mais, continuo deixando a reserva de oportunidade lá na NuConta, rendendo 100% do CDI sem burocracia. Sigo aguardando boas oportunidades para investimento.

Lembrando que este artigo NÃO tem qualquer recomendação de compra e venda, e possui caráter exclusivamente educativo.

Para fechar!

Em novembro, o índice Ibovespa valorizou apenas 15,90%, surpreendendo a todos, foi a uma das maiores altas para um único mês em mais de uma década. Com isso, a bolsa chegou próximo de 110 mil pontos e próximo da máxima antes da pandemia. 

E, por conta de toda essa alta, o investimento acaba ficando mais seletivo e, por isso, em novembro investimos prioritariamente na reserva de oportunidades. Ainda existe ativo bom para investir, mas agora fica um pouco mais difícil de achar.

O cenário em dezembro continua em alta, principalmente pelo anuncio da aprovação da vacina da Pfizer para uso de emergência, tanto no Reino Unido quanto nos EUA; além de estar próximo de aprovação em diversos outros países. Isso tudo traz um grande otimismo com relação ao futuro.

No cenário político, vimos o STF formar maioria para referendar o que estava escrito na constituição e fazer valer o impedimento da reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado Federal. Abrindo uma disputa política por esse espaço até as eleições, que ocorrem em fevereiro. Até lá, a agenda política não deve ter grandes avanços, deixando o Brasil parado por mais alguns meses.

Provavelmente teremos mais uma alta na bolsa em dezembro, e independente do cenário continuo posicionado. O momento é de voltar a fortalecer a reserva de oportunidades, mas sem deixar de investir na bolsa de valores.

É isso, Poupadores e Poupadoras! Sigo investindo e acreditando no futuro do Brasil. Me acompanhe pelo Instagram e fique por dentro das minhas negociações. Ah, e não esqueça de compartilhar o artigo com seus amigos. Vamos todos juntos caminhar para a prosperidade.

Ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo.