Confira as alterações na minha carteira e as estratégias de investimento

366
Confira as alterações na minha carteira e as estratégias de investimento

Nesta coluna, você vai acompanhar de perto a minha carteira de investimentos e vai aprender mais sobre maneiras de alocar recursos para ter uma carteira previdenciária sólida.

A minha carteira teve uma valorização de 5,84% em maio, enquanto o Índice Bovespa, que funciona como um termômetro do mercado de capitais, valorizou 8,57%. Lembrando que cerca de 40% do meu capital está investindo em renda fixa, praticamente mesmo percentual de abril.

Durante o mês, fortaleci minha carteira aumentando a posição em dois setores resilientes, o financeiro e o elétrico. Ambos setores subiram menos do que os demais e por isso ficaram relativamente mais baratos.

Abaixo você confere comentários sobre essas negociações, além dos motivos que contribuíram e podem contribuir ainda mais para a alta da bolsa.

Se quiser saber sobre toda a minha receita com investimentos, clique aqui.

Renda Fixa vs. Renda Variável

Durante maio fiz mais investimentos em renda fixa do que na renda variável, porém a rentabilidade da renda variável foi muito maior que a da renda fixa. Com isso, a proporção entre renda fixa e variável se manteve praticamente a mesma do mês anterior.

O investimento em renda fixa foi destinado a um empréstimo com rentabilidade de 1% ao mês. Esse investimento se junta a outros com taxas de rentabilidade diversas, desde Selic até 1,5% ao mês. Considerando toda a carteira de renda fixa, a rentabilidade mensal fica em 0,72%. Uma ótima taxa considerando que a Selic está em 3% ao ano.

Por enquanto nenhuma outra oportunidade em renda fixa está no horizonte e a espero dentro de alguns meses volta a ter pelo menos 60% em renda variável.

Rentabilidade mensal

A rentabilidade mensal é medida ao levar em consideração a variação entre o preço na liquidação de todos os ativos e os rendimentos do mês. Para saber mais sobre o cálculo de rentabilidade.

Em maio, a rentabilidade foi de 5,84%, novamente abaixo do índice iBovespa, que valorizou 8,57%. Lembrando que pouco mais de 40% da minha carteira está em renda fixa, atualmente rendendo 0,72% ao mês. Isso faz com que a variação da minha carteira seja menor do que o índice Ibovespa, tanto na alta quanto na baixa.

Segundo mês de alta, recuperando parte das quedas de fevereiro e março, causadas pela crise do Coronavírus. A expectativa é que o pior tenha passado e que possamos ter uma volta gradual à medida que a economia volte a funcionar.

Para saber mais sobre os ganhos com dividendos e vendas de ativos, clique aqui.

Carteira de Investimentos

O número de ativos na carteira permaneceu o mesmo. A carteira está mais concentrada, as dez maiores posições da carteira representam 75,66% contra 72,07% em abril.

Esse mês praticamente foi de alta, apenas quatro empresas tiveram queda, IRBR3 (-18,69%) teve uma queda mais acentuada. As outras três empresas foram mais brandas: EUCA4 (-2,08%), UNIP6 (-1,84%) e ABCB4 (-1,68%).

Seis empresas tiveram alta acima de 10%, foram PRIO3 (53,01%), OIBR3 (29,03%), VLID3 (26,35%), FESA4 (24,27%), CMIG4(14,50%) e CVCB3 (12,32%). Petrorio (PRIO3) por conta da recuperação no preço do barril de petróleo. Oi (OIBR3) pela divulgação do EBITDA do 1T20, a divulgação do resultado ficará para junho. Ferbasa (FESA4) pela alta do dólar. E as demais provavelmente pela recuperação geral do mercado.

Embora a volatilidade tenha diminuído em relação a abril, ainda não dá para dizer que o mercado voltou ao normal. Porém, o futuro parece mais claro, agora que diversos países começam a reativar a economia com o afrouxamento do isolamento social.

Negociações

O mês foi praticamente de compras, exceto por três vendas nos últimos dias do mês. Dessa vez, vamos começar pelas compras.

Comecei continuando as compras em Banrisul (BRSR6) enquanto o mesmo estava muito barato, abaixo dos R$ 12,50. Foram três compras, através do mercado fracionário dando um total de 35 ações pelo preço médio de R$12,16 por ação. Para esse ano o banco deve perder um pouco de lucro por conta da limitação da taxa de cheque especial, mas o banco estima que isso chegue, no máximo, a 5% dos lucros.

Fora isso, o banco possui boa parte de sua carteira no crédito consignado, o que traz segurança nesse momento conturbado e imprevisível que passamos por conta do Coronavírus. Portanto, achei a queda exagerada e aproveitei para aumentar posição. Confira o racional sobre Banrisul clicando aqui.

Ainda do lado dos bancos, novamente aumentei posição no banco ABC (ABCB4). Dessa vez, adquiri 60 ações por um preço médio de R$11,88, bem abaixo do que os R$13,78 pago em abril.  E também comprei Itaúsa (ITSA4), não é um banco, mas 95% do resultado vem do banco Itaú, foram 28 ações ao preço de R$ 8,45.

Entrando em outro setor bastante seguro, o elétrico, aumentei posição na Cemig (CMIG4), única desse setor em minha carteira. Foram 45 ações pelo preço médio de R$8,69. A Cemig atua nas três áreas do setor elétrico: geração, transmissão e distribuição. É uma empresa que foi mal gerida pelo governo anterior de Minas Gerais. De 2019 para cá, a nova gestão tem realizado um bom trabalho e, aos poucos, a empresa vem apresentado melhores resultados. Toda empresa estatal tem seus riscos, mas se estiver desvalorizada, vale a pena.

No setor de tecnologia, aproveitei para reduzir meu preço médio em Valid (VLID3), apenas uma compra de 15 ações pelo preço de R$ 7,98. Saiba mais sobre Valid.

Aproveitei também a promoção de IRB Brasil (IRBR3) e comprei mais 45 ações por um preço médio de R$ 7,40. Depois das acusações de fraude, a empresa vem trocando diversas pessoas na alta cúpula da empresa para consertar o problema de credibilidade. Para isso, têm conseguido nomes de peso, como por exemplo, a nomeação de Ellen Gracie, ex-ministra do STF, para o conselho de administração. Em breve a empresa deve apresentar o resultado do primeiro trimestre de 2020, vamos aguardar.

Aumentei, mais uma vez, minha posição em Cogna (COGN3), 100 ações pelo preço médio de R$4,30. A empresa apresentou um péssimo resultado no nível superior presencial, compensado parcialmente pelo forte crescimento do EAD, que possui ticket médio inferior a aulas presenciais. Outra parte que cresceu bastante, e é o lado promissor da Cogna, diz respeito aos sistemas para escolas, tanto do ensino básico quanto do superior. Muitas escolas contratam os sistemas da Cogna para poderem oferecer EAD aos alunos enquanto estão proibidas as aulas presenciais por conta da pandemia. Isso acelerou os planos nessa área.

Fiz um swing trade com Wiz (WIZS3), comprando 45 ações por R$ 7,42 e vendendo 45 ações por R$ 9,13 cada, lucro de R$1,71 por ação. Saiba mais sobre Wiz.

Nas vendas, reduzi minha posição em Ferbasa (FESA4), vendi 40 ações por R$ 20,57 cada, lucro liquido de 4,16%. Reduzi a posição pela forte valorização nos últimos dias, o que fez o ativo ficar menos atrativo. Continua sendo uma ótima empresa e espero poder aumentar posição quando o preço voltar para um patamar mais interessante.

Diminuí também minha posição em CSU Cardsystem (CARD3), pela grande valorização, o que tornou o ativo menos interessante, inclusive acima do preço que considero justo. Vendi 100 ações pelo preço de R$ 10,78 cada, auferindo lucro líquido de 67,17%. Ainda me restam 400 ações a serem vendidas caso o preço continue a subir e outras empresas estejam mais atrativas.

Dessa vez não houve movimentações em fundos imobiliários, continuo posicionado em OUJP11 e MALL11. Para ler uma análise de MALL11, clique aqui.

No mais, continuou deixando a reserva de oportunidade lá na NuConta, rendendo 100% do CDI sem burocracia. Sigo aguardando boas oportunidades para investimento.

Para fechar!

Em maio, o índice Ibovespa valorizou 8,57% e, junto com a valorização de abril, recuperou parcialmente a queda de março, resultado que também impactou positivamente minha carteira, que valorizou 5,84%.

Nos 20 primeiros dias de maio, a bolsa continuou por volta dos 80 mil pontos, como previsto. Depois engrenou um movimento de alta, fechando o mês nos 87 mil pontos.

Toda essa alta, aparentemente, tem a ver com o fato de os bancos centrais estarem baixando os juros e injetando muito dinheiro na economia. Naturalmente parte desse dinheiro acaba indo para a bolsa de valores e isso acaba valorizando os ativos.

Somado a isso tivemos várias notícias de afrouxamento do distanciamento social e abertura gradual da economia, passando a ideia que “o pior já passou” e esperança de dias melhores.

Apesar de tudo isso, não podemos esquecer que o desemprego aumentou consideravelmente e ainda existe bastante incerteza quanto a velocidade de recuperação. Sendo cuidadoso, acredito que a maioria dos setores só devem voltar a um patamar pré-coronavírus em 2021 e, por isso, tenho aproveitado para realizar alguns lucros e ficar mais líquido para qualquer surpresa que possa surgir.

Mas não tão líquido, pois continuou acreditando que este é um ótimo momento para investir na bolsa de valores.

É isso, Poupadores e Poupadoras! Me acompanha pelo Instagram e fique por dentro das minhas negociações. Ah, e não esqueça de compartilhar o artigo com seus amigos.

Ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo.