Balanço Patrimonial – Julho 2018

464

Este mês foi razoável, por um lado houve o aumento de 2,61% no Patrimônio Líquido, por outro, o aumento de 5,40% no padrão de vida. Aumentar o padrão de vida não é ruim, mas é algo que precisa ser feito com cuidado para não comprometer a poupança e prejudicar a velocidade do enriquecimento.

Saiba mais sobre o que é a Jornada da Riqueza e como medir sua riqueza através do Balanço Patrimonial.

Não é necessário realizar o Balanço Patrimonial (BP) mensalmente, mas o faço para acompanhar de perto a evolução da minha riqueza e aproveito para trazer métricas para vocês. Vamos a algumas delas:

Uma das métricas mais importantes a serem observadas em um BP voltado para enriquecimento é a proporção dos ativos geradores e não geradores de renda. Quanto maior a proporção dos ativos geradores de renda melhor. No caso do meu BP, 70,93% são ativos gerados de renda, acima de 50% é um patamar muito bom. Os outros 29,07% são ativos que não produzem renda, tais como capital para o dia-a-dia, carro e outros bens.

Outra métrica essencial é o percentual de passivos em relação aos ativos, dado pela soma dos passivos dividido pela soma dos ativos. Essa métrica está em 5,84%, o que indica que meu patrimônio não é financiado por dívidas e, quando se trata de um dos países que tem uma das maiores taxas de juros, quanto menos dividas melhor. Ainda é importante comentar que minhas dívidas são em cartão de crédito e outros compromissos, em ambos os casos não tive desconto a vista, então o impacto com juros é zero.

O aumento do Patrimônio Líquido (PL) veio, basicamente, da poupança realizada no mês, visto que minha carteira  de investimentos andou de lado, apenas +0,27% de rendimento. Hoje minha carteira pode sofrer bastante oscilação, pois a maior parte dela encontra-se em renda variável, a expectativa é diminuir esta volatilidade nos próximos meses.

A meta audaciosa da evolução do PL de +60,90% foi reduzida para +46,27%. Isto ocorreu por dois motivos. O primeiro foi a substituição de um objetivo de 2019 por um outro já em 2018. O segundo pela volatilidade do mercado de ações, impactando minha carteira que está significativamente exposta.

Mesmo assim, +46,27 continua sendo uma meta desafiadora, visto que atualmente estou com +14,90% quando a projeção neste cenário deveria ser de +26,99%.

Do mesmo modo que a bolsa de valores penalizou meu PL nos últimos 3 meses, o mercado pode se recuperar no fim do ano, principalmente após as eleições. Como compro valor, essa variação não é relevante a curto prazo.

Continuarei acompanhando, agindo e ajustando a meta se necessário.

Dúvidas? Comente aqui embaixo.