As oportunidades surgirão, basta se preparar

380

Nesta coluna, você vai acompanhar de perto a minha carteira de investimentos e aprender mais sobre renda variável para a construção de uma carteira previdenciária. Se quiser ver um resumo da minha jornada até agora, clique aqui. 

A carteira teve uma rentabilidade de 8,43% em janeiro, um pouco abaixo do índice Bovespa.  Nada de anormal já que parte da carteira está em renda fixa. Com a compra do carro e outros investimentos realizados, a proporção de renda fixa e renda variável voltou para os patamares esperados, 22%-78%. 

O mês teve uma boa distribuição de rendimentos, chegando a R$ 179,95. E ganhos líquidos com movimentações na bolsa no valor de R$ 1.002,28. Totalizando R$ 1.182,23.  

A cada mês dou mais um passo para, em breve, viver apenas de dividendos. Continue lendo e acompanhe tudo isso com detalhes.

Renda Fixa vs. Renda Variável

De dezembro para janeiro, o percentual da carteira investido em renda fixa desceu de 40,70% para 19,33% enquanto o de renda variável subiu de 59,30% para 80,67%. 

Essa redução na renda fixa já era esperada, graças à compra do novo carro com os recursos que estavam investidos em renda fixa. 

Para os próximos meses pretendo aumentar um pouco o percentual na renda fixa, deve chegarprovavelmente, à casa dos 25%. Essa é uma estratégia para ter liquidez, e isso é importante caso o governo Bolsonaro vá mal e a bolsa de valores caia consideravelmente. Desse modo, terei reservas para comprar boas empresas de maneira ainda mais barata.

Rentabilidade mensal

A rentabilidade mensal é medida ao levar em consideração a liquidação de todos os ativos, mais os rendimentos do mês. Para saber mais sobre o cálculo de rentabilidade. 

Como boa parte da minha carteira de investimentos está em renda variável, isso traz uma expressiva variação mensal, como pode ser visto no gráfico. 

Em janeiro, a rentabilidade de 8,43% foi ótima, mesmo considerando que o índice Ibovespa, que funciona como um termômetro do mercado de capitais, valorizou 10,82%. Afinal, como nem toda minha carteira está em renda variável, é natural que ela tenha menos volatilidade que o índice. 

Boa parte desse resultado se deve à estratégia de fazer reserva em renda fixa e alocar esse capital em renda variável apenas quando surgem ótimas oportunidades. Dessa forma, é possível alocar o capital de maneira mais eficiente. Comecei a atuar dessa forma no início de outubro e até agora essa estratégia tem apresentado bons resultados.  

Para os próximos meses é esperada uma volatilidade maior na bolsa de valores, isso porque temos um novo governo com o grande desafio de aprovar a reforma da previdência. Para isso, pretendo aumentar as reservas em renda fixa com intuito de realizar boas compras caso apareça alguma boa empresa com um bom desconto.  

Durante o mês de janeiro, os proventos recebidos em conta totalizaram R$ 179,95 contra R$ 309,72 do ano anterior, diminuição de 41,89%. Saiba mais clicando aqui.

Em compensação tive um ganho, descontando imposto de renda, de R$ 1.002,28 com a venda de algumas posições em fundos imobiliários e ações. 

Carteira de Investimentos

Como vocês podem ver, minha carteira está bem pulverizada e atualmente possui 32 ativos.  

A estratégia de fortalecer ativos em carteira continua. Abro exceções apenas quando oportunidades muito boas aparecem.  

Com a compra do meu novo carro, a reserva em renda fixa diminuiu bastante. Como estou investindo na compra de equipamentos e materiais para o consultório odontológico de minha esposa, precisei me desfazer de algumas posições. 

Para isso realizei uma gestão ativa do portfólio, tentando maximizar resultados. Então vamos falar um pouco das operações. 

Operações 

Comecei o mês realizando a subscrição das ações da empresa de telecomunicações OI (OIBR3), da qual tinha direito. Uma subscrição de capital é realizada quando a empresa opta por levantar capital junto aos acionistas ao invés de empréstimos. Nesse caso foi de 4 bilhões de reais para que a companhia pudesse acelerar investimentos com o propósito de melhorar sua operação, que está atrasada em relação aos outros players do mercado. Com esse investimento praticamente dobrei minha posição na OI, ainda assim abaixo de 2%. Essa baixa posição reflete os riscos da empresa que passa por um momento delicado de recuperação judicial com o propósito de evitar falência.  

Depois disso, liquidei minha posição em EDGA11, conforme racional apresentado no artigo anterior. Essa venda gerou um ganho líquido de capital de R$ 160,68, já descontado o imposto de renda. 

Com o dinheiro, incluí na carteira o fundo imobiliário TRX REALTY LOGÍSTICA (TRXL11), que firmou, junto à Coca-Cola, contrato de rentabilidade previsível por um longo período de tempo, conhecido como contrato atípico. Isso fará com que a rentabilidade do fundo praticamente dobre a partir de junho de 2019.  

Já vi diversos estudos que mostram que a cotação do fundo acompanha a distribuição dos rendimentos. Com o aumento da distribuição, a expectativa é que a cotação se valorize. Optei por alocar pouco capital, pois era meu primeiro investimento aproveitando esse tipo de oportunidade. E a valorização ocorreu, até o final do mês o fundo valorizou 23,93%. Com isso vendi parte da posição, que gerou R$ 39,36 de lucro líquido.

Ainda capitalizado, fiz várias compras e aumentei bastante minha posição no fundo imobiliário General Shopping (FIGS11). Com o fim da renda mensal garantidao mercado começou a ficar pessimista quanto ao fundo, embora mesmo sem a renda garantida o fundo estivesse atrativo. Revisei minha análise de precificação e defini valor justo em R$ 71,00 por cota. Fui comprando conforme o valor da cota caiu para R$ 67, R$ 65, R$ 62,00 e R$ 59,00. 

Já com pouco capital, realizei mais algumas vendas de ativos que tinham peso muito pequeno na minha carteira. Um deles foi Petrobras (PETR3), que me proporcionou um ganho de 68,43%. Outro foi a construtora Trisul (TRIS3), que gerou um ganho de 25,55% em pouco mais de um mês. E o outro foi o fundo imobiliário Maxi Renda (MXRF11), que rendeu 15,21% em três meses de investimento. 

Continuo deixando minha reserva para resgate imediato lá na NuConta, rendendo 100% do CDI sem burocracia. Sigo aguardando boas oportunidades de compra. 

Para fechar! 

Com todas as movimentações acima até parece que giro bastante a carteira, mas todas as posições de venda não chegaram nem a 5% do total. Até teria feito menos movimentações se não fosse o gasto com o carro e com os investimentos no consultório.  

Com o cenário político adverso que temos, é prudente aumentar a reserva de renda fixa para aproveitar oportunidades que possam surgir. Depois desses gastos minha reserva ficou pequena e estou tentando aumenta-la, mas confesso que boas oportunidades estão surgindo e dificultando esse objetivo. 

Bom, independentemente de qualquer coisa, os investimentos são a longo prazo, então sigo comprado na bolsa de valores, não é à toa que por volta de 80% dos meus investimentos estão nela. Preciso reduzir para uns 75% para aproveitar melhor as oportunidades que o debate da reforma da previdência trará. 

Não é fácil mexer com classes privilegiadas no Brasil. Eles não vão aceitar facilmente as mudanças. Mesmo assim, não vejo espaço para não aprovar a reforma.  

Esse foi um mês com mais vendas do que o normal, tem meses que não realizo nenhuma venda. A carteira teve uma ótima valorização, de 8,43%, em um mês rendeu mais do que a renda fixa de um ano inteiro.  

É isso, Poupadores! Espero que este conteúdo ajude a ver que é possível para qualquer um montar sua própria carteira previdenciária e garantir uma aposentadoria digna. 

Para quem deseja dar o primeiro passo e ter acesso aos diversos produtos do mercado financeiro, clique aqui. 

Dito isso, queremos te ouvir para trazer cada vez mais conteúdo sobre investimentos e te ajudar na construção do seu patrimônio e aposentadoria. Deixe um comentário com suas dúvidas.