Será que valerá a pena investir na Oi em 2021?

161
Será que valerá a pena investir na Oi em 2021?

Olá Poupadores e Poupadoras, hoje vamos falar um pouco mais da Oi, empresa de capital aberto disponível para investimento e uma das empresas mais comentadas da bolsa de valores. 

A Oi foi a primeira empresa da bolsa em que investi e venho acompanhando a trajetória dela desde então. Um investimento que começou representando muito pouco na minha carteira e hoje já representa uma posição média.

Nossa última análise feita foi lá em meados de 2019, e nesse artigo vamos falar do que aconteceu desde então.

Sabe aquela venda da participação de 25% na empresa angolana Unitel? Saiu no início de 2020 por um preço de U$ 1 bi, nada mau. Isso deu mais fôlego para continuar os investimentos e atenuou o risco de curto prazo do negócio.

Foi suficiente para implementar todo o plano estratégico? Ainda não, mas deu um pouco de fôlego.

Eis então que em junho deste ano a empresa apresenta uma atualização do seu plano estratégico, muito mais claro e objetivo, abandonando de vez o passado e traçando o futuro da Nova Oi.

A empresa fatiou sua operação em cinco partes, chamadas de Unidades Produtivas Isoladas (UPIs). As cinco UPIs são: Torres, Data Center, Ativos Móveis, Infra Co e TV Co. Conforme imagem a seguir:

Três dessas UPIs já foram vendidas (Torres, Data Centers e Ativos Móveis) por um valor R$ 1,5 bi maior que o previsto, totalizando quase R$ 18 bi. Mais dinheiro para a empresa =D

O intuito da empresa é ter apenas duas unidades: a Cliente Co e Infra Co.

A Infra Co. será responsável por toda a infraestrutura de Fibra Ótica e o objetivo é ser um player neutro no setor, isto é, vai oferecer seus serviços tanto para a Oi quanto para os demais provedores do mercado. Enquanto que a Cliente Co. será responsável pela venda da Fibra ao consumidor final, como já é feito pela Oi atualmente.

Para alcançar esse objetivo, a empresa precisa de escala e, por isso, precisa investir bastante na infraestrutura de Fibra. Mesmo tendo a maior infraestrutura e capilaridade do mercado, são mais de 400 mil km de infraestrutura em todo o país. A seu favor, a empresa afirma ter o menor custo de expansão, que se traduz em uma grande vantagem competitiva perante seus concorrentes.

Quanto mais a empresa se expande, menos atrativa se torna para os competidores manterem uma infraestrutura própria, chegando ao ponto de ser mais viável simplesmente contratar a Oi, através da unidade Infra Co. e se preocupar apenas em adquirir e conectar os clientes finais.

É nisso que a Oi aposta todas as suas fichas. Para saber mais sobre o modelo de negócio de rede neutra, clique aqui.

Assim como os demais provedores, a Cliente Co. vai contratar os serviços de infraestrutura da Infra Co., competindo de igual para igual.

Com isso tudo implementado, a Oi estaria se livrando de toda infraestrutura sem importância para a banda larga, se desfazendo inclusive da parte móvel, que já foi vendida. Então, se você é cliente móvel da Oi, saiba que em breve você será cliente da Claro, Tim ou Vivo. Os clientes serão distribuídos entre as três, conforme quadro abaixo:

Com todo o dinheiro captado, parte vai para pagamento de dívidas e outra parte será direcionada para manter os altos investimentos na Fibra Ótica, que vem dando cada vez mais resultado.

Para garantir mais investimentos e a neutralidade da Infra Co., a Oi venderá 25% dessa unidade por R$ 6,5 bi mais um aporte de R$ 5 bi no caixa da Infra Co. O novo acionista ficaria com 51% das ações ordinárias enquanto que a Oi ficaria com 49% das ações ordinárias e 100% das ações preferenciais, perfazendo 75% do total da Infra Co.

Com essa venda, a Oi traz um sócio majoritário para a Infra Co., fortalecendo a ideia de rede neutra, e também garante mais investimentos e crescimento para o negócio.

Ufa, bastante informação, não? Sei que é bastante coisa, mas a empresa tem conseguido entregar suas promessas e a previsão para tudo estar finalizado, inclusive com a saída da Recuperação Judicial para o final de 2021. Os próximos passos é a venda integral da UPI TV Co. e venda parcial da Infra Co. Veja o cronograma:

Por hoje é isso, focamos em esclarecer a nova empresa que está surgindo, no próximo artigo vamos falar um pouco dos números da empresa e o quanto a empresa pode ter espaço para crescer.

Lembrando que este artigo não é recomendação de investimento e visa apenas trazer informações para você, investidor ou investidora, ter mais poder de decisão.

E antes de ir, não esquece de deixar o like e compartilhar com os amigos.

Ah, me diz aí: você já investe na Oi? O que acha da empresa? Tá pensando em investir nela? Conta pra gente aqui embaixo!