Não invista sua reserva de emergência!

312

Olá Poupadores e Poupadoras, neste artigo vamos falar mais um pouco sobre a crise econômica que a pandemia do Coronavírus vai deixar e o que você não deve fazer neste momento.

No artigo da semana passada já havíamos comentado alguns dos impactos estimados, porém de lá para cá o quadro econômico continuou a se agravar.

Nos EUA o número de pedidos de seguro desemprego chegou a 22 milhões. Segundo estudo da Ibre/FGV, no pior cenário, podemos ter mais 12,6 milhões de desempregados e o índice de desemprego ir para 23,8% contra os 11,6% registrados em fevereiro.

Na semana passada, o banco mundial estimou uma queda de 5% no PIB brasileiro para este ano, queda maior do que os 3,5% que vivenciamos em 2015.

A previsão do mercado financeiro brasileiro revisou a projeção de queda do PIB de 1,96% para 2,96%.

Pelo visto, ainda é cedo para estimar o impacto da crise com precisão, visto que o isolamento pode ser reforçado ou até estendido por mais tempo. Isso se reflete negativamente na economia, cada dia parado causa mais desemprego e, consequentemente, mais dificuldade na retomada.

Perceba que estamos em uma situação delicada e que a primeira coisa que você deve ter para passar por essa crise é uma reserva de emergência, conforme abordado aqui.

Infelizmente já recebi relatos de pessoas que estão resgatando a reserva de emergência para investir na bolsa de valores com o intuito de aproveitar “a grande oportunidade” por conta da grande queda.

É importante lembrar que não é porque a bolsa caiu 40% que chegou ao limite, ela pode cair mais, tudo dependerá dos acontecimentos futuros.

Resgatar a reserva de emergência para investir na bolsa de valores pode significar um grande risco no momento em que você precisa de mais segurança.

Já pensou no cenário em que você perde sua renda, demora para se recolocar no mercado e, ainda por cima, o dinheiro da reserva de emergência que colocou na bolsa de valores desvaloriza 40%?

Em vez de aproveitar “a grande oportunidade”, você amargaria uma grande perda e tornaria sua vida muito mais difícil.

Por isso que qualquer investimento da bolsa de valores deve ser feito pensando no longo prazo. Use apenas o dinheiro que não vai precisar nos próximos 12 meses pelo menos, aquele dinheiro que sobra depois que você já tem uma boa reserva de emergência.

Temos que pensar em rentabilidade sim, porém sem comprometer nossa tranquilidade. Ainda mais ao investir em negócios, afinal nem sempre o resultado aparece tão rapidamente.

Sem tranquilidade, a chance de realizar maus investimentos aumenta e aquela “grande oportunidade” pode se tornar em uma “grande perda” em um piscar de olhos. Lembre-se que o dinheiro, antes de tudo, é um meio e não um fim em si mesmo.

É isso, Poupadores e Poupadoras, espero ter contribuído para que vocês possam entender melhor o cenário atual em que nos encontramos e manterem suas reservas de emergência, investindo apenas o excedente na bolsa de valores, mesmo que pareça estarmos diante de uma grande oportunidade. Caso você tenha alguma dúvida ou sugestão, comente aqui ou entre em contato conosco pelas redes sociais!