Estabelecer uma meta é fundamental no mundo dos investimentos

495

Nesta coluna, você acompanha meu orçamento mês a mês. Saiba mais sobre a Jornada da Riqueza.

Atrasou um pouquinho, mas saiu. Dessa vez vou ser mais breve.

Em dezembro realizei uma poupança levemente acima da média do ano, e ultrapassei o previsto para 2018. Desse modo, meus objetivos de curto, médio e longo prazo estão mantidos.

A renda passiva teve redução de 11,56%, quando comparado com dezembro de 2017.

Em dezembro, aproveitamos para viajar para Maceió, vou comentar sobre em outro artigo, não deixem de acompanhar. Confiram os detalhes do meu orçamento abaixo.

Receitas

Houve aumento de 430% em dezembro em relação ao mesmo mês no ano passado. Isso se deu por eventos não recorrentes.

O primeiro foi pelo recebimento de uma quantia que minha mãe me devia. Outro evento foi o pagamento da segunda parcela do 13º salário, que passou a ser em dezembro. E para completar, a antecipação de salário de dezembro para novembro de 2017 devido a férias.

Dessa vez, a renda com investimentos teve redução de um ano para outro. Enquanto em dezembro de 2017 foi de R$ 383,13, em dezembro foi de R$ 335,82. Redução de 11,56%.

Essa redução ocorreu porque, em 2017, houve um pagamento extraordinário de uma das empresas em que sou acionista. Esse foi um pagamento pontual que, conforme esperado, não se repetiu em 2018.

Os rendimentos em conta chegaram a aumentar mais de 100% de um ano para o outro. Isso mostra que poupando e investindo qualquer um pode construir a própria aposentadoria através de uma carteira previdenciária.

Toda essa poupança e rendimentos já me permitem viver quase 30 meses sem depender de qualquer trabalho. No mês anterior esse número era de quase 20. Esse aumento é devido aos recursos investidos em renda fixa que aguardam a compra do novo carro, já em janeiro esse parâmetro deve voltar aos patamares dos 20 meses.

Abaixo você vê a variação da minha receita ao longo do ano. Em dezembro, foi desconsiderada a quantia devida pela minha mãe.

Despesas

Em relação a dezembro de 2017, houve redução de cerca de 15%. Uma forte diminuição de gastos, mesmo com uma viagem de cinco noites para Maceió.

Quando comparado com novembro, houve redução de gastos com Alimentação (35,38%) e Saúde (57,28%).

Com alimentação, a redução se deu por dois motivos. Primeiro, com a venda do nosso carro em novembro, passamos a fazer compras no supermercado próximo à nossa casa. Como íamos a pé, ficamos mais seletivos nas compras por conta do peso. Segundo, compramos muito leite e suco em novembro, contribuindo com menos gastos em dezembro. Junto a tudo isso teve a viagem que fizemos para Maceió, em que comemos fora de casa, utilizando o cartão de crédito, o que postergou essas despesas para janeiro.

Com saúde, a redução foi porque novembro teve um gasto extraordinário com a castração do nosso cachorro.

Por outro lado, houve mais gastos com Educação (33,02%), Habitação (17,19%), Lazer (192,04%), Vestuário (43,49%) e Cuidados Pessoais (628,19%).

Com educação, houve gasto extra com uma assinatura por três anos dos serviços da casa de análise de investimentos dica de hoje 7. Investimento em educação voltada ao mercado de ações com a intenção de aprofundar ainda mais o conhecimento. A compra foi em novembro com preço promocional de blackfriday e o pagamento foi agora em dezembro.

Já com habitação, foi pela prestação da nova máquina de lavar roupas, que começou a ser paga.

Com lazer, os maiores gastos foram pela viagem que fizemos para Maceió, comentarei sobre ela em outro artigo.

Já com vestuário, o aumento foi pela compra de roupas de praia.

E para terminar, os gastos com cuidados pessoais foram maiores por causa da compra de protetor solar, tapete higiênico para nosso cão e maiores gastos com produtos de beleza.

Previsto x Realizado

Mais um mês com uma boa poupança, dessa vez 33,32%, levemente acima da média, que até então era de 31,24%.

Algumas categorias ficaram pouco acima ou abaixo do que o previsto, mostrando que é bom ter uma referência a ser perseguida durante o ano.

O mais importante foi alcançado, a taxa de poupança ficou levemente acima do previsto. Essa meta batida significa que estou poupando o suficiente para todos os meus objetivos de curto, médio e longo prazo.

Terminado mais um ano, agora é fazer os ajustes para o orçamento do ano seguinte.

Faço meu orçamento anual e monitoro mês a mês na intenção de ficar dentro do que me proponho. Isso faz com que seja mais prático acompanhar a evolução do que um orçamento feito mensalmente. Saiba mais sobre orçamento.

No próximo artigo trarei os ajustes realizados no orçamento para 2019.

Tem dúvidas ou sugestões? Comente aqui.