Conheça os dez ativos predominantes na minha carteira

252

Nesta coluna, você vai acompanhar de perto a minha carteira de investimentos e aprender mais sobre renda variável para a construção de uma carteira previdenciária.

A carteira teve uma desvalorização de 1,54% em abril, contra a do Índice Bovespa, que valorizou 0,98%. Houve uma leve redução na renda fixa graças à antecipação do pagamento das contas no cartão de crédito.

O mês teve uma boa distribuição de rendimentos, chegando a R$ 585,30. Saiba mais.

A cada mês dou mais um passo para, em breve, viver apenas de dividendos.

Renda Fixa vs. Renda Variável

A proporção em renda fixa teve variação de 22,79% para 22,15%, isso porque decidi antecipar contas do cartão de crédito, estratégia que vai se repetir em maio. Mesmo assim, a ideia é aumentar o capital em renda fixa para 25% nos meses seguintes.

Rentabilidade mensal

A rentabilidade mensal é medida ao levar em consideração a variação do preço na liquidação de todos os ativos e os rendimentos do mês. Para saber mais sobre o cálculo de rentabilidade.

Como boa parte da minha carteira de investimentos está em renda variável, isso traz uma expressiva variação mensal, como pode ser visto no gráfico.

Em abril, a rentabilidade de -1,54% foi contra o índice Ibovespa, que funciona como um termômetro do mercado de capitais, e valorizou 0,98%. Em boa parte, essa discrepância foi causada pelas ativos da Cielo e Ecorodovias.

A Cielo teve desvalorização de quase 20% em abril, junto à 15,43% de desvalorização da Ecorodovias por causa da suposição de nova greve dos caminheiros.  Independente disso, continuo confiante com as duas empresas.

A estratégia de aumentar a reserva em renda fixa para os momentos de adversidade continua.

Sigo fazendo a gestão da carteira sem capital novo. Agora que minha esposa começou a atender, é provável que volte a aportar lentamente no mercado de capitais.

Até lá, dinheiro novo só quando alguma ótima oportunidade surgir.

Para saber mais sobre os ganhos com dividendos e vendas de ativos, clique aqui.

Carteira de Investimentos

Como vocês podem ver, minha carteira está bem pulverizada. Houve liquidação de três ativos (ETER3, EZTC3 e MPLU3) que, juntos, correspondiam a 7,51% da carteira e adição de dois CIEL3 e UNIP6, que representam 5,35%. Com isso, a carteira tinha 28 ativos e terminou com 27.

A estratégia de fortalecer ativos em carteira continua e, atualmente, pouco mais de 75% está nas dez maiores posições. Posições de alto risco seguem com alocação abaixo de 3%.

Esse mês foi movimentado, então vamos falar das operações.

Operações

O mês começou com venda da metade da posição em Eternit (ETER3). Já vinha considerando a venda desse ativo há algum tempo. O motivo é simples: a empresa perdeu fundamentos muito além dos cenários traçados que me fizeram entrar no ativo. Comprei Eternit em meados de 2017 e, desde de meados de 2018 vinha pensando em me desfazer, a demora só me fez ter perdas um pouco maiores. Tudo é aprendizado e a lição foi aprendida.

Ainda ao longo do mês, vendi o restante das ações liquidando por inteiro minha posição. As perdas foram de 64%, se tivesse saindo antes seria por volta dos 40%. Perdas fazem parte, nem Warren Buffett acerta todas, fico feliz em ter uma lição dessas no início, aprender depois teria me custado muito mais dinheiro.

Já que estamos falando de perdas, vamos falar de mais uma. Dessa vez foi por algo totalmente fora dos controles dos acionistas, a empresa aérea Latam, detentora de quase 75% das ações da Multiplus (MPLU3) decidiu fechar o capital da empresa. Para isso, era necessário que 2/3 dos acionistas minoritários aceitassem a oferta de R$ 27,22 por ação, o que ocorreu e a adesão foi na casa dos 80%. Como meu preço médio era maior, tive que vender pelo valor ofertado e, com isso, tive pequeno prejuízo de 2%.

As vendas ainda não acabaram, outra posição liquidada foi a de EzTec (EZTC3), empresa de construção civil focada nos segmentos de média e alta renda. Já tinha vendido metade da minha posição em março, o raciocínio é o mesmo apontado no artigo referente a março. Estava apenas esperando melhor oportunidade para venda.

Agora vamos falar das compras, boa parte do dinheiro das vendas foi alocado em duas novas posições: Unipar (UNIP6) e Cielo (CIEL3).

A Unipar (UNIP6) é uma das maiores empresas de cloro e PVC do Brasil. Além do Brasil, ela atua em vários mercados no exterior, o que faz boa parte da sua receita sem em dólar. Como dólar é uma moeda forte, naturalmente isso traz uma proteção caso o Brasil passe por dificuldades e o Real venha a se desvalorizar. Basta olharmos o passado, sempre que o Brasil passar por dificuldade o dólar dispara, o que afeta positivamente as empresas exportadores que recebem em dólar. Além desse motivo, os preços das ações estão atrativos e oferecem um dividend yield (rendimento de dividendos) de mais de 6%, tendendo a ser uma boa pagadora de dividendos.

Já a Cielo (CIEL3) é a empresa líder em meios de pagamentos no Brasil, possui um marketshare – distribuição de lucros – por volta dos 45%. Por muito anos a Cielo e a Rede lideraram o mercado sem concorrentes que poderiam ameaçar seus negócios. Atualmente não dá para dizer o mesmo, existem pelo menos mais dois grandes competidores de peso: Stone e PagSeguro. É nesse contexto de alta concorrência que a Cielo vem perdendo espaço e margens.

Por muito tempo a Cielo ficou quieta reinando sem se preocupar com a concorrência, que ganhava cada vez mais força, mas esses dias acabaram desde que o novo CEO tomou posse, vindo do Banco do Brasil. Um CEO com grande experiência na área e que promete entrar nessa briga com toda a força. Após análise, acredito que o preço da ação está abaixo do cenário que considero conservador, se estarei certo só o tempo dirá. Como essa é uma posição de risco, ela terá no máximo 3% da Carteira.

Além desses dois novos ativos na carteira, também houve compras menores em ativos já presentes: GGRC11, CARD3, PRIO3, PMAM3, ECOR3 e FESA4.

Aqui vou me ater a comentar EcoRodovias (ECOR3). Aproveitei a queda no preço com os temores de uma nova greve dos caminhoneiros. Como já é uma posição grande na carteira fico cauteloso nas compras. Embora siga cada vez mais confiante nos resultados dessa empresa, caso o Brasil faça as reformas pretendidas, essa empresa tende a ser muito beneficiada. Estou disposto a pagar até R$ 11,50 por ação e o ativo segue sendo negociado abaixo dos R$ 9,00, uma ótima oportunidade.

Continuo deixando minha reserva para resgate imediato lá na NuConta, rendendo 100% do CDI sem burocracia. Sigo aguardando boas oportunidades para investimento.

Para fechar!

Este foi um mês de muitas operações, mais uma vez a carteira foi enxugada, agora mais de 75% da carteira está concentrada em dez ativos.

A movimentação da carteira foi alta por causa do fechamento de capital (OPA) da Multiplus (MPLU3).

O fundo imobiliário FIGS11 teve novamente boa valorização (4,12%). Já não é possível comprar FIGS11 com boa margem de segurança. Atualmente está no patamar de preço que considero justo R$ 69,50.

Como sempre, sigo comprando em bolsa de valores até que não tenha mais oportunidades que valham a pena. Pretendo fortalecer o caixa em renda fixa para aproveitar ainda mais as oportunidades que a volatilidade pode trazer. Lembre-se, para cada vendedor existe um comprador.

É isso, Poupadores! A cada mês dou um passo para a liberdade financeira. Espero que este conteúdo te ajude a ver que é possível para qualquer um montar sua própria carteira previdenciária e garantir uma boa aposentadoria.

Para quem deseja dar o primeiro passo e ter acesso aos diversos produtos do mercado financeiro, clique aqui.

Quem deseja saber mais sobre fundos imobiliários, clique aqui e aqui.

Queremos te ouvir para podermos trazer mais conteúdo sobre investimentos e te ajudar na construção do seu patrimônio e aposentadoria. Deixe um comentário.