Às vezes é preciso ir mais devagar para ir mais longe

0

Atrasou um pouquinho, mas saiu. 

Então vamos direto ao ponto! Trago uma atualização do orçamento para 2019. 

Nesse primeiro mês do ano tive um bom aumento na receita, porém grandes despesas.  

Boa parte dessas despesas ocorreram por conta da viagem que fizemos em dezembro, da compra do novo carro e dos investimentos em equipamentos e materiais odontológicos de boa qualidade para minha esposa, que em breve começará sua carreira profissional em Odontologia. 

A poupança ficou zerada porque o valor poupado foi menor do que os resgates realizados.  

Nesse primeiro semestre estaremos dando um passo para trás para podermos andar bem mais rápido em breve, é o que esperamos pelo menos. 

Nesta coluna, você acompanha meu orçamento mês a mês. Saiba mais sobre a Jornada da Riqueza. 

Receitas  

Houve aumento de 11,22% em janeiro em relação ao mesmo mês no ano passado. Isso se deu por eventos não recorrentes. Basicamente, esse aumento veio pelo ajuste salarial e pelo pagamento das horas extras trabalhadas em dezembro.  

Do lado da renda passiva com investimentos, houve redução de R$ 309,72 para R$ 179,95. Mas o resultado de R$ 309,72 foi devido a um resgate em renda fixa que não se repete, sem esse evento o valor teria sido de R$ 119,95 ao invés de R$ 309,72. O resultado comparável seria R$ 119,55 contra R$ 179,95, aumento de 50,52%. 

Despesas  

Em relação a janeiro de 2018, houve aumento de 319,67%. Isso ocorreu por causa da compra de um novo carro, o Peugeot 208 Griffe. Sem a compra do carro, o valor comparável geraria um aumento de 16,32%.  

Quando comparo janeiro de 2019 com dezembro de 2018, percebo que houve aumento nos gastos de 20,34%.  

Os principais aumentos foram com Alimentação (66,92%), Habitação (55,57%)Saúde (30,35%) e Transporte (8223,06%). 

Todo o aumento com alimentação se deu pelo pagamento do que consumimos na viagem de dezembro, além de voltarmos para rotina de compras. 

Já com habitação o aumento foi pelo pagamento do IPTU em parcela única, ganhando um desconte de mais ou menos 7%. A compra de fronhas para a cama também contribuiu para esse aumento. 

O aumento de gastos com Saúde foi pela compra de medicamentos. Minha esposa foi diagnosticada com rinite e agora essa categoria será impactada com gastos recorrentes de medicamentos para isso. 

E os gastos com Transporte foram bem altos devido à compra do novo carro. Já considero o valor de compra com toda a revisão feita, junto com a transferência e licenciamento. 

Por outro lado, houve menos gastos com Educação (92,17%), Vestuário (15,63%) e Cuidados Pessoais (48,34%). 

Essa redução com educação ocorreu pela conclusão da graduação em odontologia da minha esposa. A partir de então, as despesas nessa categoria serão menores, mesmo com a especialização em dentística, que vai iniciar em breve. 

E, para terminar, os gastos com Vestuário e Cuidados Pessoais foram menores por causa da conclusão do pagamento dcompras passadas.

Orçamento 2019 

Vamos às mudanças para esse ano. 

Finalmente minha esposa terminou a graduação em Odontologia, fazendo com que os gastos com educação sejam menores que o ano passado. Em compensação, ela iniciará uma especialização de Dentística em Salvador/BA. Isso vai pressionar os gastos principalmente com Habitação e Transporte pelo deslocamento e hospedagem. 

Uma outra categoria com gastos expressivos será em Outros, isso porque minha esposa, em paralelo com a especialização, vai iniciar sua carreira profissional. Vamos investir uma boa grana com equipamento, materiais e consultório, tudo da melhor qualidade. 

Todos esses gastos naturalmente vão inviabilizar, no início, realização de uma boa poupança. Um valor simbólico está previsto apenas para não perder o hábito.  

Como são gastos que nunca ocorreram, o orçamento desse ano terá uma previsibilidade menor, sendo que ao longo do ano possivelmente passará por ajustes à medida que tudo for ficando mais claro. 

Saiba mais sobre orçamento.

Agora vamos falar do realizado até janeiro. Bom, nesse início de ano tivemos dois gastos de forma mais intensa.  

O primeiro foi a compra do novo carro, por isso o gasto realizado com transporte está nas alturas. Como os gastos a patir de agora serão menores, ao longo dos próximos meses as despesas devem voltar para dentro dos 33,87% previstos. 

O segundo, com a compra de equipamentos e materiais odontológicos para minha esposa começar a atuar profissionalmente. Uma parte considerável dos gastos previstos já foram realizados em janeiro, o que diminuirá os gastos para os meses seguintes. 

Um outro fato que vale a pena comentar é referente à poupança. Em janeiro foi feita a poupança compulsória do FGTS, mas os resgastes superaram esse valor, por isso o resultado foi zero. 

A partir de agora é acompanhar mês a mês e ajustar em caso de imprevistos. 

É fato que estamos gastando muito dinheiro nesse ano, principalmente com investimentos na carreira profissional da minha esposa, mas também esperamos bons retornos, que vão impulsionar resultados futuros. Em resumo, estamos dando um passo para trás para poder andar mais rápido em breve. 

Tem dúvidas ou sugestões? Comente aqui.