As vantagens e desvantagens de comprar um carro usado

0

Neste artigo, eu vou te mostrar os principais pontos para avaliar qual é a opção mais vantajosa do ponto de vista financeiro.

Os gastos com transporte estão entre um dos mais relevantes no orçamento financeiro. Ainda mais no Brasil, onde, devido à falta de infraestrutura, temos preços maiores e dificuldades em ter acesso a transportes públicos de qualidade.

Optei por ter um carro próprio, mesmo sabendo que me custaria mais, por conta da comodidade e do conforto, principalmente em viagens ao interior do Estado. Pois bem, sabendo que os carros no Brasil são caríssimos e querendo manter os gastos com transporte em até 15% do meu orçamento, fui pesquisar se deveria optar por um carro novo ou usado.

Para decidir, procurei primeiro os carros que atendessem às minhas exigências de conforto, espaço e segurança. Em resumo, eu precisava de um carro prioritariamente urbano, com pouco espaço, e que fosse potente o suficiente para fazer viagens mais longas de vez em quando. Assim o escolhido foi o hatch compacto Premium Citröen C3 Exclusive 1.6 Automático. Futuramente escreverei sobre como escolher um ótimo carro adequados para suas necessidades de acordo com espaço, itens, segurança, desempenho, design e custos.

 

O Citröen C3 Exclusive, do ano de 2009, já vinha com sistema de freios ABS e Airbags, ar condicionado digital, câmbio automático convencional, motor 110cv, 305L de espaço no porta malas, computador de bordo, direção elétrica e acabamento para a categoria. Em junho de 2016 , o novo Citröen C3 versão 2016, também vinha com os atributos do antigo, além de design mais moderno, levemente mais seguro e econômico, embora tenha perdido um ou outro item de conforto.

 

As contas a seguir foram baseadas em junho de 2016, os modelos escolhidos na comparação foram as duas versões top de linha: o Citröen C3 1.6 Exclusive AT 2009 e o Citröen C3 1.6 Exclusive AT 2016. Segundo a FIPE, que expressa o preço médio de veículos no mercado nacional e serve de parâmetro para negociações e avaliações, o primeiro custava R$ 23.541,00 e o segundo, de acordo com o site, custava R$ 60.000,00. Quando digo “ano 2016”, me refiro ao período que vai de junho de 2016 a maio de 2017, e assim por diante para os outros anos.

Para deixar o artigo mais objetivo, analisei os custos mais relevantes: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Desvalorização, Custo de Capital, Consumo de Combustível e Manutenção.

Todas as contas levam em consideração o período de 3 anos, ou seja, de junho de 2016 até maio de 2019.

IPVA

O IPVA em Sergipe é de 2,5% para veículos de até R$ 120.000,00, para o carro usado foi considerado tabela FIPE. O valor foi desvalorizado em 10% a.a. para ambos.

Conforme pode ser observado, houve uma diferença de R$ 2.470,13 em favor do usado.

Desvalorização

É um item que as pessoas costumam deixar de lado, mas que é financeiramente muito relevante. Vale comentar que muitos carros, depois de certo tempo, quase não se depreciam enquanto que os novos costumam se depreciar muito. A desvalorização também é um item que varia conforme modelo e marca, aqui utilizamos uma desvalorização padrão de 10% para ambos.

Enquanto o usado desvalorizaria R$ 6.379,62 o novo desvalorizaria R$ 16.260,00. Uma diferença de R$ 9.880,38 em favor do usado.

Custo de Oportunidade

Este é outro item que muitos não levam em consideração. O Custo de Oportunidade é o quanto você deixou de ganhar pela indisponibilidade do dinheiro. Por exemplo, digamos que você tinha R$ 1.000,00 reais investidos a 10% a.a. e resolveu gastar em uma compra qualquer, por consequência gera um custo de oportunidade, que seriam os juros ganhos no futuro, R$ 100,00 reais no primeiro ano, R$ 110,00 no segundo ano e assim por diante.

É normal comprar carro usado até 20% abaixo da Fipe, esse percentual pode variar conforme a conservação do veículo. Aqui utilizamos um desconto de apenas 10%, o usado ficaria por R$ 21.186,90. Para 60 mil reais faltaria R$ 38.813,10, ou seja, optando por comprar o usado teria esse dinheiro disponível para aproveitar outras oportunidades.  Abaixo segue a conta considerando 10% de ganhos anuais.

Consumo de Combustível

Nesse quesito, geralmente o carro novo ganha, pois vêm com novas tecnologia que o deixam mais eficiente. No caso do C3, essa diferença é em torno de 10% de economia.

No meu caso, a estimativa de rodagem é de 10 mil km por ano. A média do brasileiro é de 15 mil km por ano. O meu uso é 90% urbano, ou seja, dentro da cidade.

O preço utilizado foi de R$ 4,00 reais o litro, sendo que na época a gasolina estava em média por R$ 3,50. Para o carro usado, o consumo médio estimado foi de 8,55 km/litro enquanto que para o novo foi de 9,5 km/litro.

Dessa forma temos que 10 mil km divididos por 8,55km/litro gera um consumo anual de R$1.169,59 litros. Multiplicando esse valor pelo preço de 4 reais temos um total anual de R$ 4.678,36. Como nossa projeção é de 3 anos, basta multiplicar o valor por 3, resultando em R$ 14.035,08.

Para o carro novo seguimos o mesmo raciocínio, 10 mil km divididos por 9,5 km gera um consumo anual de 1.052,63 litros. Multiplicando esse valor por R$ 4,00 reais o litro dá um total de R$ 4.210,52 gastos por ano. Multiplicado por 3 anos, o resultado é de R$ 12.631,57.

Aqui a diferença foi de R$ 1.403,51 favorável ao carro novo.

Manutenção

Por fim, temos o gasto com manutenção. No caso do carro novo é sem dúvidas menor e geralmente já informada pela concessionária. No caso do carro usado, é o ponto mais incerto, já que a conservação tende a ser menor. Como nem sempre dá pra saber todas as condições do carro usado, prefiro ser conservador e já colocar na conta surpresas, tanto para peças que possam vir a quebrar quanto as de desgaste com o uso. Segue tabela com projeção:

 

Aqui a vantagem vai para o carro novo, com uma diferença de R$ 4.950,00.

Conclusão

Do lado do carro usado temos menores gastos com IPVA, uma desvalorização menor e não há custo de oportunidade. O carro novo, as vantagens ficam por conta do consumo de combustível e da manutenção.

No caso do usado, o gasto projetado total foi de R$ 45.170,95, descontando o preço de venda, estimado em R$ 17.161,38, chegamos ao gasto final de R$ 28.009,57 para 3 anos. Já no carro novo, temos um gasto projetado final de R$ 90.593,70, descontando o preço de venda, estimado em R$ 43.740,00, chegamos ao valor final de R$ 46.853,70. Uma diferença total de R$ 18.844,13, favorável ao usado.

Como ambos atendiam os critérios mínimos desejados e o carro usado custaria muito menos, optei pelo usado. Claro que é uma projeção, entre o projetado e o realizado muita coisa pode acontecer, mas a diferença expressiva gerou uma margem de segurança confortável para optar pelo carro usado.

É importante também comentar que, para o caso de aquisição, foi levado em consideração a aquisição à vista de ambos. Se, por exemplo, o comprador tivesse apenas R$ 30.000,00 disponíveis, o custo de oportunidade seria ainda maior, por causa dos juros do financiamento.

Por fim, este artigo não tem o intuito de afirmar que comprar carro usado é sempre mais vantajoso que o novo, mas trazer os pontos mais relevantes do ponto de vista financeiro. Além de funcionar como um guia para as opções desejadas e te ajudar a fazer melhores escolhas.

É isso! Se gostou, compartilhe com seus amigos. Se não é inscrito e deseja receber as novidades, basta colocar seu e-mail na barra no topo do site.

Alguma dúvida sobre as contas? Gostaria de saber como escolher um ótimo carro para suas necessidades? Quais são suas dúvidas automotivas? Alguma outra dúvida? Deixe um comentário.